Páginas

segunda-feira, janeiro 31, 2005

Pai e Filho

Estou aqui no bar a espera de alguém que demora a chegar.1 Toda espera é infinita, mas se anula quando o objeto esperado enfim chega.

Então começo a olhar as pessoas no bar, muito bonito por sinal, e há duas em especial, pai e filho, um garotinho, divertem-se enquanto também esperam seus pedido, talvez um sorvete ou um delicioso crepes. Divertem-se com seu moderno celular que tem câmera fotográfica, ainda não sei se do pai ou do filho. Afinal isso hoje virou brinquedo de luxo. Vejo crianças de 5 anos com celular, é um absurdo.

Mas me rio deles, não como chacota, é de alegria mesmo de ver uma relação bonita assim, pelo menos é o que parece. Eles riem, conversam, brincam. Coisa rara de se ver nesse mundo corrido de hoje, onde os pais só demonstram seu amor através do trabalho, casa, brinquedos. Tudo bem que essa é a forma que julgam correta, mas se esquecem do principal, como aquela propaganda dizia: "Não basta ser pai, tem que participar."2

Gostei de ver esses dois garotos, pois um pai, com seu filho, às vezes se porta como um garotão. Gostei porque lembrei do meu pai, um grande amigo, que sempre foi um Super-Pai-Gelol, não coitado, não é fresco não. Mas sempre participou. Sempre esteve ao meu lado, mesmo que com opiniões diferentes.

Que me desculpem quem não teve essa oportunidade, mas é maravilhoso ter uma relação dessas. Lembro de como brincávamos e do quanto eu já ri, e ainda rio (ô conjugaçãozinha esquisita). Isso é realmente é maravilhoso. É muito bom ver aquele cavalão se debatendo por causa de algumas cócegas, ou rindo da cara minha e de minha irmã quando fazemos nossas palhaçadas.

Esse é meu paizão e aqui fica mais uma homenagem para você... e Manhinha, depois vem uma para você também, relaxa que amo muito vocês dois.

Image hosted by Photobucket.com
Esse aí é ele... um pouco mais sério do que o normal.

Hoje é só isso mesmo, queria falar da singelesa da vida.

É isso aí, a vida é assim, não basta viver, tem que participar.

---
1. Obs: Caso você chegue a ler isso, e você sabe que é com você, não se importe, pois não me importo com isso, foi apenas um fato, e até gerou bons frutos como esse texto. E a espera valeu a pena, como a propaganda da Tim.

2. Comercial da Gelol, que sempre terminava com o slogan: "Não basta ser pai, tem que participar."

2 comentários:

  1. Lindo, lindo texto, sinceramente fascinante.
    Gostaria de entender essa espera do nº1(curiosidade).
    Pais e filhos, ô argumento interminável.
    É interessante assistir pais e filhos e prestarmos atênção em nossa relação com nossos pais.
    Amar pai e mãe é um sentimento maravilhoso e as lágrimas que caem em relação a isso é deveras empolgante.

    ResponderExcluir
  2. mto bom!!!
    as vezes a vida se torna taun atropelada, q nem ve o q acontece ao redor.
    um momento de reflexão... apesar de saber q eles são importantes, mtas vezes naun dah um simples telefonema pra demonstrar o qto eles significam pra vc...
    ganhei o dia lendo esse texto, hehehe.
    e hj, jah falei c os meus pais...

    ResponderExcluir