Páginas

segunda-feira, maio 22, 2006

Constatar a Morte

Esse é mais um post com textos antigos, mas para os poucos que gostam de ler isso aqui, aí vai.

Esse texto escrevi em 2003, na minha segunda semana de trabalho como médico. Fui chamado para constatar a morte de uma senhora que morava próximo ao posto de saúde que eu trabalhava.

Constatar a Morte

Fui chamado.

- Emergência?
- Não! Constatar uma morte... eu não posso.
- Acaso posso eu? Como assim?

Aqui estou, diante da antítese do que busco. Vejo na cama o corpo ainda quente. Invólucro do espírito, que agora busca outras moradas.
Não tem pulso, batimento, não há vida.
Esta que busco, onde está?
Está em todos que ficam, talvez nos quevão.
Está em todos os lados, mesmo nas paredes maltradas do cômodo. Mesmo no corpo inerte na cama.
Constatar a morte.
Perceber a vida.

Alexandre Lima de Barros
Posto de Saúde Alto Vera Cruz - Belo Horizonte, 28/08/2003, 12:47.

3 comentários:

  1. Nossa....fiquei pensando aqui em como falar desse texto.
    A única palavra q me vem na cabeça é: intenso!
    Adorei...ver a morte para perceber a vida. E isso é tão real né?! Aliás....dá um ótimo assunto para um post....hahahaha...vou pensar nisso. Tenho algumas experiências com essa percepção q mtas vezes a gnt demora para ter. :)

    Lindo texto. Intenso texto.
    Adorei.

    Bjossss

    ResponderExcluir
  2. "As pessoas morrem e ressuscitam mais intensamente no coração dos que ficam"... li em algum livro japonês, e portanto não é exatamente o termo, mas idéia é essa.
    Quero viver para deixar mtas marcas e ressuscitar dentro das pessoas q eu amei.

    ResponderExcluir